Friday, November 20, 2009

Self Empowerment

Photosource: Unknown

After many years of dealing with family drama and conflict, I decided that when I had one of my own I would not tolerate such behaviour.
Nothing is more humiliating that a public display of displeasure or disagreement.
And so, when such moments arise I opt for either ignorance or silence to avoid the conflict until a later date when things can be discussed.
But silence can be interpreted in many ways and as of late I’ve discovered that it is more often interpreted as stubbornness than resignation.
Too often I’ve resigned myself to other people’s wishes to avoid conflict, I find it easier to let go of my personal wants than to battle it out with the person that wants something different.
I realised today, what a huge mistake that is.
Unless you advertise every little choice that you make towards other’s wellbeing, people will always be too self-involved to acknowledge your effort. They take for granted all the time and decisions you give up for them and label you as ungrateful the minute you decide they can’t have that moment because you want one of your own.
Worse, the more you give up your choices, time and opinions – the more resentful you become.
Recently I evaluated how much of my time I actually invest in myself and was shocked with how little I do for myself these days.
Angry, mostly with myself for having allowed myself to reach such a point.
If people are walking all over me, it’s my fault for having let them.

I believe I’ve had my epiphany.
It came to me as I realised at the peak of my exhaustion that nobody gave a damn if I lay down on the floor and fell asleep right there.
I have a choice and I should be choosing to do the things that make me happy.
I can’t make other people happy if I’m not happy myself.
As for the silence – to avoid being misinterpreted I’ve decided to start telling people exactly how I feel and what I think.
At least if they don’t like it, they’ll know exactly what to judge me for.
Harmony is overrated – it’s for submissive people who like having their identity dictated.
It’s time I give strength to my voice.

7 comments:

Luis Sardinha said...

In Portuguese we say "Nem 8 nem 80".
The good thing normally is in the middle term.

As I told you before I don't like that you stay quiet but in disagree...

I prefer that Carla.
However you must have some tolerance with the other people. This attitude with the lack of tolerance usually make bad conflicts...

Sunshine said...

Finding a midterm is quite a challenge and I agree with you - that should always be the first course of action but it takes two to reach it. If the other person doesn´t go there with you then you´re at the catch 22 situation which I was writing about - either way you´re screwed because you can´t please everyone.
Don´t worry babes, i´m not adopting a no tolerance attitude - that would be looking for a fight.
I just decided not to accept the short end of the stick and to speak up for myself when the moment calls for it instead of bottling it up inside.

Thanks for your support, it helps to be able to talk to you about anything =)

Neuronio Perdido said...

Não te revoltares ou não marcares uma posição pode levar a que não sejas tu própria mas sim a que te acomodes ou "evoluas" para o que os outros gostassem que fosses!
Por outro lado ás vezes o silêncio serve para mostrar aos outros que se calhar erraram, ou seja, mesmo que tenhas algo para dizer ás vezes o silêncio é sinal de sabedoria ao evitar o confronto.

Em todo o caso, cada situação é uma situação e tu saberás escolher como "explodir" ou "implodir" de acordo com as situações.

Kisses

Sunshine said...

Para não me revoltar, tenho de dar-me à liberdade de ser eu mesma, fazendo as coisas que gosto e quero e expressando as minhas opiniões mesmo quando os outros não concordam.
O problema nunca foi o "não concordar" - o problema é o não respeitar ou tentar compreender uma opinião diferente e depois criticar e gozar se eu decidir optar por uma solução diferente aquela que acham que é a correcta.

Achei que o silêncio era a solução mais adequada mas é interpretado como birra em vez de resignação ou respeito.

Não gosto de confrontos e nunca serei mulher de procurar uma briga. Não considero isto como uma mudança da minha maneira de ser, mas sim como uma autenticação de quem eu sou.
Lembrei-me que a melhor forma de evitar conflicto não é calar é falar e avançar com o que o nosso coração decide apesar das criticas dos outros.
Decidi deixar de de "comer e calar". Quem provocar-me vai levar com troco... isso é - se eu achar que essa pessoa ainda vale o troco.

Beijo

Clairvoyant said...

Há anos que tens esta busca pelo meio termo em quase tudo. As recordações que tenho das nossas conversas foram muitas vezes temperadas pela dificuldade em atingir esse ponto de equilibrio.

O facto de teres anos nessa demanda mostra como és interessada em atingir um patamar que consideras ser importante para ti. E não é fácil, penso que todas as pessoas que conheço procuram o mesmo. Eu próprio tento, esforço-me e muitas vezes falho, mas as relações humanas são uma aprendizagem contínua, e o constante refinamento daquilo que sabemos é o que nos leva a sentir algum prazer intelectual pela vida fora.

Que graça teria se tudo corresse bem e à primeira? Qual seria a motivação para termos relacionamentos com outras pessoas se tudo fosse perfeito?

Precisas, como eu, de continuar a desenvolver a sensibilidade, a fazer erros e a aprender com eles.

Por vezes os sentidos atrapalham. Em certas situações conseguiriamos perceber melhor o coração e a cabeça de algumas pessoas se não pudessemos ver ou ouvir. Passávamos por cima de tanta coisa que cria ruído na nossa percepção de quem são na verdade os outros... Quantas vezes te aconteceu pensares sobre alguém que afinal é diferente da tua primeira impressão?

Não acontece apenas na primeira impressão, muitas vezes falhamos na leitura de alguém que até já conhecemos à anos. Ninguém é perfeito.

fieryfairy said...

It's a great decision: after all, if we're not happy, healthy, sane we can't properly offer anything of quality to someone else. Look after No1, as the Brits say. It'll make a good New Year's resolution.

Madalena said...

Uau :D

beijinho, querida e feliz feliz natal**